A velocidade está no centro da transformação digital: a rapidez com a qual as mudanças estão ocorrendo e a disrupção provocada por elas vêm obrigando as empresas a se tornarem mais ágeis para se manterem competitivas. Tais demandas não estão apenas elevando os padrões. Elas estão alterando o contexto em que atuam executivos e profissionais de TI.

Para acompanhar a transformação digital, é fundamental que as organizações tenham um claro posicionamento sobre a sua carga de trabalho. Uma infraestrutura de TI mensurável, com capacidade de medição e transparência nos custos facilitará a tomada de decisões. Ao mesmo tempo, é preciso garantir a segurança dos dados e de todo o processo.

Dados da pesquisa do IDC FutureScape: Previsões mundiais de data center para 2018revelam que as empresas estão procurando modelos de consumo de TI flexíveis, transparentes e com preços competitivos. A análise mostra que até 2020, a procura por soluções baseadas em consumo nos data centers terão ultrapassado os modelos tradicionais, representando até 40% dos gastos com infraestrutura de TI. 94% das companhias pesquisadas dizem que é importante que um provedor de infraestrutura de TI tradicional tenha um modelo de pay-per-use e 56% das empresas afirmaram que descartariam um fornecedor que não tivesse opções flexíveis de consumo. Ao mesmo tempo, fornecedores tradicionais continuam a ser encarados como parceiros confiáveis. 53% das empresas já retornaram ou estão pensando em transferir suas cargas de trabalho de volta aos provedores de infraestrutura consagrados, mas querem continuar usufruindo os benefícios da experiência na nuvem.

Nuvem pública, TI local

O grande desafio é justamente unir essas duas pontas. Os negócios exigem flexibilidade e redução de custos, apontados como as principais razões para o uso de soluções em nuvem, enquanto a TI precisa de controle e segurança, o que remete à infraestrutura na própria empresa.

O modelo pay as you go é a resposta, oferecendo resultados de TI com hardware, software e experiência no local e pagamento conforme o uso. O fornecedor implementa e opera as soluções para o cliente, liberando os recursos de TI para tarefas de maior valor agregado.

O benefício mais evidente é a economia proporcionada pela flexibilidade do pagamento conforme o uso. Mas não é só isso. Implementando a infraestrutura como serviço, a empresa garante a utilização de soluções que evoluem à frente de suas necessidades, mantendo o controle local, dentro de um ambiente de TI simplificada.

Isso se traduz em maior agilidade nos negócios, com entregas mais rápidas ao mercado e menor risco para os negócios, para TI e também para compras. Significa também eficiência operacional e estabilidade. Enfim, o melhor dos dois mundos.